INSATISFAÇÃO HUMANA CONSTANTE

tempo-nisto-somos-iguais-temos-24-horas-todos-os-dias

Ser ou ter. O que move e alimenta? Ser humano insatisfeito por natureza?

A  acentuada realidade social focada na valorização do que temos, sobrepondo o que somos, traz consigo uma insatisfação natural a grande parte dos profissionais. Torna-se cada vez mais difícil, sentir-se satisfeito e pleno com pouco ou merecido objetivo conquistado, seja no âmbito profissional ou pessoal. Esse artigo sobressai do mundo corporativo padrão e negócios, segue dentro de uma observação que venho realizando a alguns anos no mercado, entra em uma reflexão importantíssima; sobre o principal fator de sucesso corporativo: o recurso humano.

Sofremos uma adaptação social, nos últimos anos, criando um ciclo vicioso sem término, no qual todos entramos de forma parcial ou integral todos os dias.  Não celebramos mais as presentes conquistas, sejam as pequenas ou grandiosas, da forma como deveria, sempre projetamos a próxima, afinal a conquistada já se tornou insuficiente, não tem mais o brilho social ou profissional, que tanto almejamos e significamos, anteriormente, no início desta jornada.

Hoje os recursos emocionais se sobrepuseram aos racionais a um profissional bem sucedido, diria que bate frente a frente, ao menos.

A ambição é uma característica ótima a qualquer profissional, uma força motriz, que gera grandes benefícios em qualquer carreira. Porém ela por si só: sem direção, irreal, excessiva, sem aplicabilidade e míope; torna-se um grande deturpador da realidade. Remove os méritos de qualquer conquista independente da sua grandiosidade. Liberdade sem sabedoria é poder sem direção.

Quanto tempo dedicamos aos nossos novos planos, projetos e objetivos – desde a concepção, desejo, planejamento e execução? Com todas dificuldades pertinentes e particulares; alcançamos um a um e depois, quanto tempo dedicamos a celebração desta conquista? Caso você faça uma auto-análise e encontre a resposta: “Praticamente nenhum tempo.. ou muito pouco..”. Saiba que você se enquadra a avassaladora maioria de profissionais que vivem, agem e pensam dessa forma.

Criei uma expressão denominada: “Expressão 360 em 001″ – 360 Dias de batalha e dedicação para celebrá-lo em apenas 001 Hora. Quando essa proporção não é maior. Afinal já temos novos olhos imediatos ao próximo alvo e conquista. Esse não importa mais, já está nas mãos. Os meus workmates não vão mais me elogiar a partir de agora. O meu vizinho não falará mais sobre essa minha conquista pessoal, preciso ir para próxima. Os louros já se esvaíram, Esquecemos inclusive de cada batalha dessa guerra, das noites perdidas, horas dedicadas, estudo, análise, tempo, superação.

Vamos buscar algo novo, qual? Não se preocupe, não importa, mesmo que não sabemos ainda o que seja!

A procura constante por algo, que nem nós mesmos sabemos o que é, exatamente; traz impactos diretos e reais ao nosso emocional e o principal deles é uma angústia contínua e sem cura, originada pelo ciclo vicioso ao qual somos convidados e inseridos, diariamente.  Ao não se contentar com uma vitória, não importa seu tamanho, o ser humano acaba criando um “sentimento de fracasso contínuo”. A insatisfação profissional e pessoal está ligada muito diretamente a esse ponto.

Estudos comprovam que esse aceite de comportamento pode dar início a uma série de problemas que, atualmente, já são consideradas “doenças da alma”, tais como: depressão, falta de motivação, infelicidade, insatisfação. A conseqüência é uma sensação de frustração eterna que acabará atrapalhando a sua vida pessoal e  profissional, inclusive a partida a outros objetivos.

Quando não conseguimos celebrar as nossas próprias vitórias, elas perdem o sentido. De que adianta tanta luta, tanta superação, se ao chegar ao topo, se você não sente satisfeito? Não é errado querer crescer, o erro está em querer sempre mais, sem que isso signifique a sua real realização e merecimento, distorcido de sua realidade.

Por mais que pareça clichê, é preciso que você curta e celebre cada segundo da sua vida, incluso o seu mundo profissional. As metas que estabelecemos devem fazer parte da nossa busca pela felicidade e não o contrário. Comece a perceber as razões de tanta busca e priorize aquelas que realmente sejam necessárias para você.

Certamente, assim, os obstáculos serão mais fáceis de serem superados e cada vitória terá um sabor duradouro e  mais especial!

Rodrigo Quinalha
Palestrante Corporativo
Professor MBA & Pós – FIA – Fundação Instituto de Administração 
Business Manager – HB

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s